Google demite engenheiro autor de memorando contra diversidade de gênero

Google demitiu um engenheiro que foi centro de um escândalo no Vale do Silício durante a semana passada depois que escreveu um memorando interno afirmando que existem causas biológicas por trás das desigualdades de gênero na indústria da tecnologia.


Curiosidade - 08/08/2017
Créditos: Imagem da internet
James Damore, o engenheiro que escreveu o memorando, confirmou sua demissão, dizendo em um email enviado à Reuters na segunda-feira que foi demitido por "perpetuar estereótipos de gênero".
Damore disse estar explorando todas as possíveis soluções jurídicas e que antes de ser demitido ele havia submetido uma reclamação para o Conselho Nacional de Relações de Trabalho (NLRB, na sigla em inglês) acusando seu superior no Google de tentar forçá-lo a se silenciar. "É ilegal retaliar contra uma acusação no NLRB", escreveu no email.

O Google disse que não comenta casos individuais de empregados.
O presidente-executivo do Google, Sundar Pichai, disse aos funcionários em uma nota na segunda-feira que partes do memorando anti-diversidade "violam nosso código de conduta ao promoverem estereótipos de gênero nocivos em nosso ambiente de trabalho", de acordo com uma cópia da mensagem vista pela Reuters.

O Departamento de Trabalho dos Estados Unidos está investigando se o Google ilegalmente pagou menos a mulheres que a homens. A companhia nega as acusações.

Damore afirmou na mensagem de 3 mil palavras que circulou dentro da empresa na semana passada que a "tendência esquerdista do Google criou uma monocultura do politicamente correto" que impede a discussão honesta da diversidade.
O engenheiro, que tem um doutorado em sistemas biológicos pela universidade de Harvard segundo sua página no Linkedin, atacou a ideia de que diversidade de gênero deveria ser um objetivo.

"A distribuição de preferências e habilidades de homens e mulheres difere em parte por causas biológicas e...estas diferenças podem explicar porque não vemos representação igualitária de mulheres na área de tecnologia e em liderança", disse Damore na mensagem.
O texto rapidamente ganhou apoio em instâncias conservadoras da mídia. No Breitbart News, que já foi dirigido por Steve Bannon, hoje estrategista chefe do presidente norte-americano, Donald Trump, comentaristas discutiam sobre um boicote ao Google e troca dos serviços da empresa por produtos da Microsoft, como o buscador Bing.

A vice-presidente de diversidade do Google, Danielle Brown, enviou uma mensagem em resposta à polêmica durante o fim de semana, afirmando que o texto do engenheiro "trouxe presunções incorretas sobre a questão do gênero".

[Fonte:   Terra]
Clique aqui para comentar
Para comentar, você deve estar conectado à uma dessas contas:



Comentários
Os comentários não representam a opinião do Grupo Redesul. A responsabilidade é do autor da mensagem.