Levantamento da FCDL-RS aponta que preço baixo deve ser decisivo para compra do material escolar

Diferente de outros anos, em que as crianças ajudavam na escolha dos produtos usados durante o ano na escola, os pais estão comprando sozinhos e os itens são mais simples


Geral - 25/01/2017
Preço define a compra do material escolar em 2017
Preço define a compra do material escolar em 2017 - Créditos: Júlia Resende/Arquivo
     O ano letivo inicia em fevereiro, mas os pais já estão buscando os itens que serão usados durante todo ano nas salas de aula. De acordo com levantamento feito pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul - FCDL-RS, o preço é o principal fator de decisão no momento da compra do material escolar. Cadernos com as capas e as folhas lisas, sem personagens, são os grandes destaques das vendas.
     - O material escolar é um item básico e, por mais que tenha a diminuição do consumo causado pela recessão, os pais precisam investir. Então, a solução é comprar produtos mais econômicos e que tenham maior durabilidade, como os cadernos sem personagens famosos na capa e com mais folhas, por exemplo. Já os lojistas estão apostando em descontos para pagamentos à vista. Assim, chamam atenção dos consumidores e complementam as vendas nesse início de ano - relata o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.
     Outro detalhe que está chamando atenção dos lojistas é que os pais estão comprando os materiais escolares sem a presença dos filhos, diferente de outros anos, que as crianças ajudavam nas escolhas. Em muitos casos, os filhos não entendem a recessão econômica e querem os cadernos e mochilas mais caros, com os personagens da moda. Assim, a solução que os pais estão encontrando é deixar os pequenos em casa e escolher, com mais tranquilidade, o que comprar. Ainda de acordo com os dados da FCDL-RS, o ticket médio das compras deve permanecer entre R$ 150 e R$ 250.
     - A média de preços não vai passar disso nesse ano. Quando o pai compra a mochila, que é um item mais caro, sobe o valor do ticket médio. Quando não compra a mochila e foca apenas nos cadernos, lápis, canetas e demais materiais, fica em torno de R$ 150,00 - afirma o proprietário da Papelaria Real, Flávio Santo Dallasen.
     Como o principal objetivo é economizar na compra, o momento do pagamento dos produtos também está com um diferencial: quando existe desconto para compras à vista, os pais fazem um esforço para quitar o débito na hora e não deixar para pagar durante o ano.
     - Alguns adultos se prepararam para as compras de material escolar, enquanto outros querem aproveitar os descontos do pagamento à vista. Quem não consegue fazer isso, parcela em várias vezes, para não ficar salgado, faz com o máximo de prestações possíveis - salienta o proprietário da Martini Papelaria, Deonir Martini.
     Segundo pesquisa do IPCA-IBGE, os itens de papelaria registraram uma alta de preços de 10,01% nos últimos doze meses, na Região Metropolitana de Porto Alegre, o que foi significativamente superior à inflação total, que fechou o ano em 6,95%.

Fazendo a Melhor Compra
    - A primeira recomendação é que os pais façam a maior parte das compras desacompanhada dos filhos.
    - Muitas vezes o barato pode sair caro. Ficar de olho nos produtos importados com preços completamente fora de padrão. Normalmente a qualidade é péssima. O melhor é dar preferência a produtos de fabricação nacional ou com certificação pelo INMETRO.
    - Não é necessário estocar material escolar para o ano todo. Existem itens cuja compra pode ser diluída nos próximos meses e, efetivamente a partir de março, é esperado que haja queda de preços no material escolar, a exemplo do que acontece em qualquer ramo varejista após a alta sazonal de consumo.
    - Importante pesquisar os preços antes de comprar.

[Fonte:   Play Press]
Clique aqui para comentar
Para comentar, você deve estar conectado à uma dessas contas:



Comentários
Os comentários não representam a opinião do Grupo Redesul. A responsabilidade é do autor da mensagem.