FCDL-RS entende que medidas anunciadas pelo governo do RS são alternativa para enfrentar a crise

Presidente Vitor Augusto Koch avalia que o pacote apresentado pelo governador Sartori é forte e pode viabilizar a recuperação financeira do estado


Geral - 22/11/2016
Presidente Vitor Augusto Koch avalia como única alternativa do governo
Presidente Vitor Augusto Koch avalia como única alternativa do governo - Créditos: João Alves
      As fortes medidas para combater a crise financeira do Estado, anunciadas pelo governador José Ivo Sartori na tarde de segunda-feira (21/11), representam a única alternativa possível, atualmente, para superar este grave problema. Esta é a avaliação que faz o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul - FCDL-RS, Vitor Augusto Koch, após tomar conhecimento do que foi proposto pelo governo estadual.
     - Estamos passando por uma situação de emergência em que a adoção de medidas de impacto que combatam, de forma efetiva, a crise financeira sem precedentes que o Rio Grande do Sul vive, se fazem necessárias. Nós observamos que o pacote anunciado pelo governador Sartori atinge a todos os segmentos do estado, o que pressupõe que a sociedade gaúcha terá que, mais uma vez, dar sua cota de sacrifício - ressalta Vitor Augusto Koch.
     O presidente da FCDL-RS lembra, no entanto, que as medidas deverão trazer dificuldades para os setores econômicos do Rio Grande do Sul, em especial a indústria e o varejo. Como exemplo cita a questão da antecipação do recolhimento de ICMS, da Indústria, do dia 21 para o dia 12 de cada mês, o que compromete o financiamento do capital de giro das empresas, especialmente diante de taxas de juros elevadas como as que predominam no Brasil. Isso acaba aumentando a carga fiscal efetiva das empresas.
     Para o dirigente o atual déficit anual do estado, cerca de R$ 5 bilhões, torna inviável o funcionamento da máquina pública gaúcha.
     - Observem que mesmo com as medidas anunciadas e a estimativa de ganho real de R$ 6,7 bilhões em quatro anos, com ganho de fluxo financeiro anual de R$ 2,6 bilhões, se consegue vencer a questão do déficit estadual. Mas algo precisava ser feito e o governo deu um passo importante neste sentido - enfatiza Vitor Augusto Koch.
     Na opinião do presidente da FCDL-RS as propostas apresentadas por Sartori devem viabilizar a redução dos gastos do estado e servir de base para que as finanças públicas sejam recuperadas. Mas devem ser fruto de ampla discussão no legislativo gaúcho.

[Fonte:   Play Press]
Clique aqui para comentar
Para comentar, você deve estar conectado à uma dessas contas:



Comentários
Os comentários não representam a opinião do Grupo Redesul. A responsabilidade é do autor da mensagem.