Vendas do varejo gaúcho devem crescer 25% em dezembro

Levantamento da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul -FCDL-RS aponta que as festas de final de ano trarão uma reação no consumo


Geral - 22/11/2016
As compras de presentes para o Natal ajudarão a incrementar as vendas no RS
As compras de presentes para o Natal ajudarão a incrementar as vendas no RS - Créditos: Mariana da Rosa
      As festas de final de ano deverão trazer boas novas para o comércio varejista gaúcho, fazendo com que as vendas do mês de dezembro cresçam cerca de 25% na comparação com novembro. A expectativa positiva da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul - FCDL-RS está baseada no gradual processo de recuperação da economia brasileira e, por consequência, do poder de consumo dos brasileiros.
     Artigos como vestuário e calçados poderão ter um incremento de até 85% nas vendas, vindo a seguir os produtos de uso pessoal (65%), móveis e eletrodomésticos (45%) e livros (40%). Outros ramos lojistas também deverão registrar crescimento na comercialização, mas em patamares mais modestos.
    O presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch, destaca que o Natal 2016 deverá mostrar uma reação do consumo, fazendo com tenha início a superação do quadro recessivo que o país vive desde 2014. A estimativa, de acordo com o dirigente, é que os volumes comercializados sejam 2% maiores na comparação com igual período de 2015.
    - Um dos aspectos positivos para o Natal é a perspectiva de aumento do emprego temporário, o que não ocorreu no ano passado. Acreditamos que os lojistas terão condições de contratar novos colaboradores e vender mais. Estimamos uma receita bruta na ordem de R$ 5 bilhões no Rio Grande do Sul por conta das vendas natalinas, com ticket médio na casa dos R$ 125,00 - ressalta Vitor Augusto Koch.
     Para o dirigente, as compras deverão se concentrar nos produtos que não demandam necessidade de crédito bancário e que possam ser pagos à vista ou no crediário da própria loja. Mesmo com a queda da SELIC para 14% o fato da inflação ter caído para patamares próximos a 0,2% ao mês faz com que os juros médios reais se elevem. Isto significa menor disponibilidade dos bancos comerciais em financiarem os consumidores em favor dos títulos comerciais públicos.
     - Ainda que o otimismo do consumidor esteja crescendo, a população se tornou mais conservadora em suas compras nos últimos tempos. Por isso, recomendamos aos lojistas que estejam preparados para atender essa demanda, sabendo que o cliente vai tentar economizar na compra dos presentes, buscando o melhor equilíbrio possível entre preço e qualidade dos produtos - enfatiza o presidente da FCDL-RS.
     Em relação a tendência de pagamento pelo crediário próprio das lojas, Vitor Augusto Koch alerta aos lojistas para utilizarem o SPC na análise de crédito dos clientes, como a forma mais segura de evitar os problemas causados pela inadimplência.
 

[Fonte:   Play Press]
Clique aqui para comentar
Para comentar, você deve estar conectado à uma dessas contas:



Comentários
Os comentários não representam a opinião do Grupo Redesul. A responsabilidade é do autor da mensagem.