Estudantes criam apps para evitar desperdício de água

Os apps auxiliarão no consumo inteligente de água para irrigação, além de fiscalizar o desperdício dela


Tecnologia - 02/07/2015
Créditos: Foto Divulgação
     Dois projetos de aplicativos de estudantes brasileiros foram selecionados para o Hackathon MAIS, programa que tem como objetivo promover o desenvolvimento de projetos de aplicativos voltados às boas práticas sustentáveis.
     O Hackthon MAIS faz parte da 13ª edição do Bench Day, que acontece hoje (2) em São Paulo, e contará com a apresentação dos apps "Irriga Ação" e "Ponto Falho", desenvolvidos por Fabrício Tenaglia e Igor Siqueira, alunos do curso de Sistemas da Informação da Universidade Anhembi Morumbi.
     O app "Irriga Ação" auxilia no consumo inteligente de água para irrigação. A ideia é que seja possível calcular a quantidade de litros de água necessários para irrigar um trecho de terra e assim evitar o desperdício.
Já "Ponto Falho", tem a proposta de possibilitar que o cidadão seja um agente fiscalizador do desperdício de água e cobre soluções dos órgãos responsáveis. Bastaria registrar uma foto, ativar a localização via GPS e enviar a denúncia.
    "Eu acredito que ainda existe tempo de iniciar uma nova postura em relação ao meio ambiente e, os aplicativos podem contribuir para que mais pessoas tenham acesso às ferramentas, seja para denunciar desperdícios ou controlar o uso da água", explica Igor Siqueira, um dos idealizadores dos dois projetos.
    Os estudantes farão apresentação das iniciativas ao público do evento e serão submetidos ao júri popular.
    As cinco maiores pontuações do júri técnico e popular receberão certificados e troféus mas, segundo a universidade, o principal objetivo é divulgar os projetos a fim de conseguir parceiros para que os apps possam ser desenvolvidos e disponibilizados para download.

[Fonte:   Exame.com]
Clique aqui para comentar
Para comentar, você deve estar conectado à uma dessas contas:



Comentários
Os comentários não representam a opinião do Grupo Redesul. A responsabilidade é do autor da mensagem.